-->

terça-feira, 28 de abril de 2015

Resenha: As vantagens de ser invisível (SEM SPOILERS)

Título: As Vantagens de ser invisível

Autor: Stephen Chbosky

Editora: Rocco

Páginas: 224

Avaliação:
 
Onde Encontrar:  Confira na Saraiva   Confira no Submarino
 
Oi gente, tudo bem com vocês? Como fazer para se sentir infinito? O que fazer na adolescência? Ser um mero coadjuvante ou ser o ator principal? E sobre a vida? O que fazer em relação à vida e as pessoas a quem perdemos? Todas essas questões são levantadas por Charlie, um adolescente confuso, enigmático e entediante muitas vezes, através de cartas enviadas para uma pessoa anônima (que pode muito bem ser você, o leitor).

Charlie tem uma visão muito ampla do que acontece a sua volta, é como se ao invés de viver sua vida, ele apenas a analisasse de um ponto imparcial (o que justifica muito bem o título do livro). É duro lidar com o suicídio de seu melhor amigo e a morte de sua tia (não considero Spoiler pois isso consta em várias sinopses), o protagonista é introspectivo, muito do que ele deveria falar para as pessoas ele não fala, apenas sente, apenas vê, apenas imagina.
Fica claro que o personagem sofre de algum transtorno psicológico e muito complexo de seu passado, mas o mistério vai se acumulando no desenrolar da trama e o único jeito para desvendar Charlie é ler suas cartas confidenciais, sua vida é monótona a maior parte do tempo, porém, graças a sua análise minuciosa, como já foi dito mais a cima, seus acontecimentos até parecem mais divertidos.
A vida de Charlie começa a mudar quando Bill, Sam e Patrick entram em sua vida. Bill um professor querido, que entrega a Charlie vários livros, para que esses possam ajudar a sua visão de mundo, para que possam fazer o que um livro faz de verdade, mudar nossas vidas.
Sam e Patrick, dois irmãos à la "Sexo, drogas e rock n' roll" levam Charlie para uma outra parte da vida, o lado do protagonista, é perceptível a mudança em seu comportamento até porque o intervalo de cartas que recebemos é maior, porém, Charlie não abandona de vez sua monotonia, ele e Sam se "apaixonam" como fica intrínseco o livro inteiro (e por isso também, não considero Spoiler), mas Charlie como um molenga que é não toma iniciativas e ambos iniciam relações com pessoas diferentes, o garoto está tão feliz com seu relacionamento que em uma confissão em uma de suas cartas revela:

 
(Fonte da imagem)
A única coisa contra que me fez tirar um ponto desse livro (seria meio, mas como não tenho meia estrela de tipo ainda, vai ficar quatro mesmo) é a justificativa nas últimas páginas, que o autor dá para toda a complexidade e problemas de Charlie, muito simples, nem sei explicar direito, só não gostei, foi como: "BUM, pronto expliquei toda a complexidade do meu personagem em algumas linhas, algum problema?"
No entanto é uma narrativa perfeita, vale a pena ter em casa, inclusive estou aceitando de presente, já que foi um livro que li emprestado (risos)!
Melhor Quote:
 Charlie - Por que as pessoas boas, sempre escolhem as pessoas erradas para namorar?
Bill - Nós aceitamos o amor que achamos que merecemos.
Charlie - E nós podemos mostrar para essas pessoas que elas merecem mais?
Bill - Nós podemos tentar."

2 comentários:

  1. Gosto da suas resenhas, é uma dica é continue assim e deixe seu blog cada vez melhor do que já é .

    Beijos de uma leitora bem apaixonada por livros, Juliane!��

    ResponderExcluir