-->

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Resenha: As Crônicas de Nárnia - O sobrinho do Mago

clique e veja a categoria

Título: O Sobrinho do Mago

Autor: C.S. Lewis

Editora: Martins Fontes

Páginas: 184

Avaliação:
 
Onde Encontrar:
 Confira no Amazon Confira na Saraiva    Confira no Submarino


Oi gente, tudo bem com vocês? Hoje quero falar sobre o primeiro livro (em ordem cronológica da história) da série As Crônicas de Nárnia: O Sobrinho do Mago.
Como muita gente sabe, Lewis era grande amigo de Tolkien (Autor da Terra média) e é possível encontrar semelhanças entre O Sobrinho do Mago e Os Silmarillion, ambos explicam a criação de sua terra mágica, porém, Lewis foca mais nisso.

Quem assistiu a adaptação cinematográfica O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupas (muito, mais muito ruim por sinal, porém, não piores que a sequência - Príncipe Caspian e A Viagem do Peregrino da Alvorada), ficou com algumas dúvidas como: Por que o Guarda-roupas leva as crianças para Nárnia? De onde veio a "Rainha" Jadis? Como um poste foi parar no Ermo do Lampião? Como Nárnia foi criada?
Todas essas questões são esclarecidas em O Sobrinho do Mago. Digory (Sim aquele professor barbudo que acredita em Lúcia no filme), um garoto de 12 anos conhece Polly, ambos se aventuram pelas casas vizinhas até que, acidentalmente, acabam no laboratório do tio de Digory. O Tio André faz experiências malucas com anéis (pois é, você pode fazer mais uma alusão à Tolkien e Senhor dos Anéis, porém, a semelhança acaba aí) os quais podem levar para outro mundo. Polly acaba colocando o anel de ida no dedo, por curiosidade, mas não leva o de volta, então Digory embarca com os anéis necessários para salvar a amiga e de quebra, ainda servem como cobaias para a experiência do Tio do garoto.
As duas crianças encontram-se em um bosque (O Bosque entre dois mundos) onde cada detalhe descrito por Lewis, nos faz imaginar um lugar calmo, onde é possível ouvir o crescer das árvores, ou até mesmo, elas crescendo suas raízes para beber água.
Bom, nesse livro eles acabam indo parar em uma dimensão onde tudo está morto, não há sinais de vida algum. Os acontecimentos levam Polly a despertar a "Rainha" Jadis, uma feiticeira poderosa, que matou a todos daquele lugar usando a PALAVRA EXECRÁVEL. - Observação importante: Lewis nos lembra nessa parte, o poder da ganância, o poder que as palavras tem de destruir e arrasar vidas, podemos ser remetidos também à uma crítica sobre bombas atômicas - Os amigos tentam se livrar da mulher perversa colocando os anéis de volta ao dedo, porém a mesma consegue embarcar com os dois de volta ao nosso mundo (mais especificamente Londres).
Em nosso mundo ela arranca um poste para amedrontar a todos, após idas e vindas de toda a confusão Digory, Polly, Jadis (e o poste) e um cocheiro, voltam para um lugar vazio, ou seja, um mundo que ainda não havia sido criado, então ouve-se um canto, e eles presenciam Aslam criar todo um universo à sua volta:
"- Nárnia, Nárnia, desperte! Ame! Pense! Fale! Que as árvores caminhem! Que os animais falem! Que as águas sejam divinas!
Era decerto a voz do Leão."
 Enfim, Aslam declara o cocheiro e sua esposa os primeiros reis de Nárnia, o poste ganha vida como as árvores e fica onde é conhecido o Ermo do Lampião. Digory pega uma maçã de prata em Nárnia para poder curar sua mãe (a maçã mágica não funciona em benefício próprio).
 “O fruto sempre age, filho, mas não age no sentido da felicidade para aqueles que o arrancam em causa própria.”
O garoto planta as sementes da maçã e depois a madeira da árvore serve para a construção de um guarda-roupas (é daí que vem o motivo do mesmo levar para Nárnia).
É claro a alusão que Lewis faz entre O Sobrinho do Mago e o livro de Gênesis da Bíblia, aliás, todos os livros das Crônicas de Nárnia remetem à Bíblia.
É um livro profundo, divertido, onde podemos entender a criação de todo o universo narniano e sua pureza, certamente um de meus favoritos da saga.

Se você não leu ainda, não deixe de ler, se leu deixe seu comentário sobre o livro aqui embaixo, não esqueça de seguir o blog, assim, você recebe todas as atualizações!

Aqui está as melhores Quotes do livro:
“Quando as coisas vão mal, parece que vão de mal a pior durante certo tempo; mas quando começam a ir bem, parecem cada vez melhores.”

"Não são obrigados a manter sempre a gravidade. Pois também o humor, e não só a justiça, mora na palavra."
“-Francamente, acho que alguém deveria ter providenciado a nossa comida.
-Tenho certeza de que Aslam teria feito isso... se vocês tivessem pedido.
-Ele não saberia sem que a gente pedisse?-Claro- Mas acho que gosta que peça."

4 comentários:

  1. Eu simplesmente amo As Crônicas de Nárnia. Lewis tem (ou tinha dependendo do ponto de vista) um talento incrível para contar histórias. Ouvi falar que iram lançar agora no Brasil um livro que inspirou ele a escrever Nárnia, mas não me lembro o título.

    Leoana Melo
    http://agarotacomoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Carambola, quero ler, kkkk sou extremamente fã de Lewis e Tolkien, o modo como eles contavam as coisas, simples mas encantador!

      Excluir
  2. Quem mal lê, mal ouve, mau fala, mal ver. (Monteiro Lobato).☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆

    ResponderExcluir